...
Sinto tantas vezes que não marcho ao mesmo ritmo
E não marcho na mesma direção que o resto das tropas
Como um desalinhado...

João Miguel, O Pássaro do Sul

17/04/2010

Pense por Si Próprio


Do que você precisa, acima de tudo, é de se não lembrar do que eu lhe disse; nunca pense por mim, pense sempre por você; fique certo de que mais valem todos os erros se forem cometidos segundo o que pensou e decidiu do que todos os acertos, se eles foram meus, não são seus. Se o criador o tivesse querido juntar muito a mim não teríamos talvez dois corpos distintos ou duas cabeças também distintas. Os meus conselhos devem servir para que você se lhes oponha. É possível que depois da oposição, venha a pensar o mesmo que eu; mas, nessa altura. já o pensamento lhe pertence. São meus discípulos, se alguns tenho, os que estão contra mim; porque esses guardaram no fundo da alma a força que verdadeiramente me anima e que mais desejaria transmitir-lhes: a de se não conformarem.

Agostinho da Silva, in "Cartas a um Jovem Filósofo"

4 comentários:

Kanauã Kaluanã disse...

Miguel, soberbo o texto!

Fez-me lembrar de dois pensamentos:

"Sei que não consegui. Só espero não tê-lo conseguido bem."
[Miguel Esteves Cardoso, in A Phala nº 4]

"Não importa. Tento outra vez.
Falho de novo... Falho melhor!".
[Samuel Beckett]

Amo-te todo!

Gorete disse...

Belíssima reflexão do Prof. Agostinho da Silva.
O Jorge adorava ouvi-lo falar na tv.
Beijinhos para vcs

Brancamar disse...

Muito bom este texto, João Miguel. O professor Agostinho da Silva tinha uma rara lucidez e sabedoria.
Obrigada por o trazer até nós, pois nunca é demais reflectirmos sobre esta realidade. É muito fácil ser influenciado se não se tiver este espírito crítico constante e o que mais se vê hoje em dia são pessoas alienadas e pouco pensantes. É também um exercício de humildade de um homem sábio como era Agostinho da Silva, numa terra em que fácilmente se toma o pensamento dos "Doutores" como matéria consumada e indiscutível, sem sequer a analisar.

Obrigada por nos trazer esta grande lição.
Beijinhos
Branca

Brancamar disse...

Obrigada pela preciosa lembrança que me deixou do fabuloso e querido Mário Viegas e também do meu adorado Eugénio de Andrade num poema lindo dedicado ao seu afilhado Miguel.

Gratíssima e sim o João Miguel a a Katyuscia merecem todo o meu carinho, por serem tão verdadeiros, transparentes, por escreverem com tanto sentimento e paixão, porque tudo o que vos leio é como se uma fonte de vida jorrasse das entranhas da terra...e toda a natureza se plantasse perante o nosso olhar extasiado.

Adorei aquele poema de entrada de Fernando Pessoa, é isso mesmo que ele diz, tão sábiamente, estou aqui porque gosto, únicamente com todo o mistério que encerra esse estar perante o que gosto e de quem gosto.

Beijinhos
Branca