...
Sinto tantas vezes que não marcho ao mesmo ritmo
E não marcho na mesma direção que o resto das tropas
Como um desalinhado...

João Miguel, O Pássaro do Sul

26/12/2009

Menina Selvagem

A Menina Selvagem

A menina selvagem veio da aurora
acompanhada de pássaros,
estrelas-marinhas
e seixos.
Traz uma tinta de magnólia escorrida
nas faces.
Seus cabelos, molhados de orvalho e
tocados de musgo,
cascateiam brincando
com o vento.
A menina selvagem carrega punhados
de renda,
sacode soltas espumas.
Alimenta peixes ariscos e renitentes papagaios.
E há de relance, no seu riso,
gume de aço e polpa de amora.

Reis Magos, é tempo!
Oferecei bosques, várzeas e campos
à menina selvagem:
ela veio atrás das libélulas.

Henriqueta Lisboa

Amo tanto a minha menina...

3 comentários:

ETERNUM disse...

Como é linda esta Menina selvagem que corre nas asas do seu Pássaro... Como são belos... a "Menina e o Pássaro"...
Que esse voo.. seja Eterno...e que o Pássaro Voe sempre de "Asa dada com a Mão da Menina"..

Beijos.. soprados com carinho

t3resopolis disse...

A menina sem o pássaro ..
o pássaro sem a menina..
nada faria sentido
nada teria sabor diferente
nada seria um hoje
nada poderia ter esse cheirinho a rio

a gaivotas
a pombas da cidade
a risos rasgados
a aventais em praças
a preces
a vida !

vos adoro.. aos 2

vossa t3

Kanauã Kaluanã disse...

"Sobretudo no momento em que a tocara, compreendera: o que se seguisse entre eles seria irremediável. Porque quando a abraçara, sentira-a viver subitamente em seus braços como água correndo. E vendo-a tão viva, entendera esmagado e secretamente contente que se ela o quisesse ele nada poderia fazer... No momento em que finalmente a beijara sentira-se ele próprio de repente livre, perdoado além do que ele sabia de si memo, perdoado no que estava sob tudo que ele era...
[...]Ela era uma nuvem prestes a chover... terrivelmente feliz."

[Clarise Lispector, in Perto do coração Selvagem]

Só o sou para ti!