...
Sinto tantas vezes que não marcho ao mesmo ritmo
E não marcho na mesma direção que o resto das tropas
Como um desalinhado...

João Miguel, O Pássaro do Sul

30/01/2010

Cruz

A Vida
em ferida
vivida
é.

Crucificados
cordeiros
entregam os braços
aos fados
sem revolta.

Vivo
vivo
vivo
quero merecer
uma cruz.

João Miguel, O Pássaro do Sul

2 comentários:

Kanauã Kaluanã disse...

"... e não já nascer crucificado!"

Há quem passe a vida inteira com as feridas dos próprios pregos nas mãos.

Desculpa, meu anjo... mas tinha de usar aquela tua frase aqui para introduzir o comentário.

Sabes, Miguel, quero e vou - vamos! - fazer uma t-shirt com este poema.

© Piedade Araújo Sol disse...

aportei aqui pela mão da Katy, gostei de ler.

beij