...
Sinto tantas vezes que não marcho ao mesmo ritmo
E não marcho na mesma direção que o resto das tropas
Como um desalinhado...

João Miguel, O Pássaro do Sul

19/04/2012

Ser

Vivo o feliz desespero de ser inteiro.

Só pode morrer quem está vivo.

Só existir não sou eu.

Vivo, nós, sou.



João Miguel, O Pássaro do Sul

2 comentários:

« Katyuscia Carvalho » disse...

Quando estiveres cansado de olhar uma flor, uma criança, uma pedra, quando estiveres cansado ou distraído de ouvir um pássaro a explicar o ser, quando te não intrigar o existirem coisas e numa noite de céu limpo nenhuma estrela te dirigir a palavra, quando estiveres farto de saberes que existes e não souberes que existes, quando não reparares que nunca reparaste no azul do mar, quando estiveres farto de querer saber o que nunca saberás, se nunca o amanhecer amanheceu em ti ou já não, se nunca amaste a luz e só o que ela ilumina, se nunca nasceste por ti e não apenas pelos que te fizeram nascer, se nunca soubeste que existias mas apenas o que exististe com esse existir, quando, se -, porque temes então a morte, se já estás morto?

Mas a tua estrela pode não estar no céu. Põe-na lá.


[Pensar - Vergílio Ferreira]

És minha Vida!

« Katyuscia Carvalho » disse...

Há os que morrem cedo. E vivem até muito tarde.