...
Sinto tantas vezes que não marcho ao mesmo ritmo
E não marcho na mesma direção que o resto das tropas
Como um desalinhado...

João Miguel, O Pássaro do Sul

12/05/2012

Pres(unção)

A extrema pres(unção) é mortal.
Aniquila impiedosamente a paz de espírito, o sossego, a vida do pretenso sofredor deste complexo de centro do universo, onde se tudo não tem a ver com ele, lhe toca pelo menos indirectamente.
Em paz fique a alma dos extremos pres(untos)!
Afinal, alguém que tenha verdadeiro amor a ter opinião, a pensar conceitualmente, a defender o que crê como certo, justo e verdadeiro, não tem tempo para pensar nisto, ou se o fizer terá de saber que haverá sempre alguém que conhece, um conhecido, amigo, mesmo pais ou irmãos, que se sentirá tocado ou melhor, pres(untado).
Eu decidi poder pensar...

João Miguel, O Pássaro do Sul

1 comentário:

« Katyuscia Carvalho » disse...

Ah, esse heliocentrismo narcisoparanóico de tantos... não sabem que as constelações o são sem eles!

Bravo, Miguel!!!

Os "pres(untados)" não mudam o mundo. -são os vermes em seu umbigo!