...
Sinto tantas vezes que não marcho ao mesmo ritmo
E não marcho na mesma direção que o resto das tropas
Como um desalinhado...

João Miguel, O Pássaro do Sul

29/04/2012

Eremitar

A tentativa de aniquilar a solidão em todas as suas formas, tem aniquilado também as sociedades onde esse medo e esse combate se desenvolveram mais, num progresso auto destruidor. É necessária a coragem de sabermos ser sós no pensar, o pensamento é um ato solitário de responsabilidade. O ausentarmo-nos da nossa responsabilidade por medo dessa partícula de solidão que nos é corpo e espinha dorsal, suicida-nos como célula, vulgariza-nos no todo e é parte da agonia que se vive. Os povos que veneram a reflexão solitária, e os "loucos" que não abdicam dos seus momentos de reclusão ao mundo, sem medo de serem o que são, completamente, são o caminho abandonado...

João Miguel, O Pássaro do Sul

1 comentário:

BRANCAMAR disse...

Olá João Miguel,

Muito bom este pensamento, tem muito a ver com outro que publiquei há dias de um autor indiano, sobre esta sociedade doente e a falta de saúde e de lucidez que será alinhar com ela.
Faz-nos falta essa solidão de que falas, há ruído a mais por todo o lado, um ruído de que a maioria não se apercebe. Como dizes há como que uma espécie de medo da solidão e ela por vezes é tão necessária ao espírito.

Beijinhos, menino lúcido.
Branca