...
Sinto tantas vezes que não marcho ao mesmo ritmo
E não marcho na mesma direção que o resto das tropas
Como um desalinhado...

João Miguel, O Pássaro do Sul

18/12/2009

Escada




O Anjo da Escada

Na volta da escada
Na volta escura da escada.
O Anjo disse o meu nome.
E o meu nome varou de lado a lado o meu peito.
E vinha um rumor distante de vozes clamando
clamando…

Mario Quintana

2 comentários:

Kanauã Kaluanã disse...

A escada não eram só degraus de acesso... antecipavam passos que faziam música de chegada... e ela, em pico de ansiedade, projetava-se à entrada, onde aguardava a aparição do amor que iria adentrar o espaço e ocupar-lhe os poros. Era tanto o clamor que a voz que rangia da madeira se confundia com os dentes a rosnarem roupas.
E assim, o amor era [des]medido em ângulos e [de]graus de febre.

...

Kanauã Kaluanã disse...

Miguel...

É tanta a saudade!
Salva-me!!!

"Esta manhã encontrei o teu nome nos meus sonhos e o teu perfume a transpirar na minha pele. E o corpo doeu-me onde antes os teus dedos foram aves de verão e a tua boca deixou um rasto de canções.
No abrigo da noite, soubeste ser o vento na minha camisola; e eu despi-a para ti, a dar-te um coração que era o resto da vida - como um peixe respira na rede mais exausta. Nem mesmo à despedida
foram os gestos contundentes: tudo o que vem de ti é um poema. Sentei-me na cama e repeti devagar o teu nome, o nome dos meus sonhos... são frios os batentes nas portas da manhã."

[Maria do Rosário Pedreira]

Se não vieres logo, atiro-me escada abaixo... (risos)

Amo-te, meu lindo!